Coronavírus muda hábito de compras e impulsiona vendas online

Especialista dá dicas para comprar online com segurança, podendo até economizar

Desde o início da pandemia do Covid-19 e a adoção de medidas como o distanciamento social, o comércio online de produtos e serviços passou a ser a principal alternativa para muitos segmentos e consumidores. Prova disso é que alguns varejistas registraram aumento de 180% nas vendas de produtos das categorias alimentos, bebidas, saúde e higiene pessoal, desde 12 de março, conforme levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm).

Segundo o especialista em comportamento do consumidor e professor do Centro Universitário UNA Uberlândia, que faz parte do Ecossistema da Ânima Educação, Ivando Nonato, a tendência é que este cenário continue, com consumidores mais engajados nas compras à distância. “A Covid-19 provocou mudanças estruturais no hábito dos consumidores de varejo digital. Cada vez mais pessoas optam por adquirir pela internet itens de necessidade básica, como produtos de supermercado ou de farmácia. Esta é uma ótima oportunidade para as empresas começarem a vender online de forma rápida e simples, sem a necessidade de investimentos massivos. Quem não levar seu modelo de negócios para a internet está em desvantagem, correndo riscos de não sobreviver”, declarou.

Neste cenário favorável para as compras online, muitos sites e lojas têm aproveitado para realizar promoções e oferecer condições especiais aos clientes. É o caso dos shoppings centers que criaram opções de drive thru e delivery não só para o segmento de alimentação, como também para o de vestuário, calçados, saúde e beleza, dentre outros.

Confira abaixo algumas dicas dadas pelo especialista para fazer suas compras de forma segura e até mesmo economizando.

– Reputação do vendedor

Antes de fazer qualquer compra, é fundamental que o consumidor se certifique da segurança da loja. É possível pesquisar a reputação do estabelecimento em sites de reclamações e nas mídias sociais, observar se há um cadeado ao lado do endereço da página eletrônica no navegador, além de acompanhar as avaliações de outros consumidores. É preciso também desconfiar de preços muito baixos e ausência de informações sobre o vendedor, que podem evitar que o consumidor saia no prejuízo.

– Cashback

Algo que ainda é pouco falado, mas pode ser útil na hora de economizar é a possibilidade de ter cashback. Traduzindo o termo, seria uma modalidade em que o consumidor tem parte do dinheiro de volta, que pode ser acumulada e utilizada para pagar menos em compras futuras. Muitas lojas e shoppings centers estão utilizando esta tática como forma de gerar receita neste momento de restrição para a circulação de pessoas.

– Pagamento à vista

Assim como nas compras nos estabelecimentos físicos, as compras realizadas pela internet podem ter um desconto maior com o pagamento à vista, seja por meio de boleto, cartão de crédito ou transferência bancária.

– Entrega grátis

Adquirir os produtos desejados em um mesmo site tem como principal vantagem a diminuição no custo do frete. É comum que algumas lojas ofereçam desconto, ou até mesmo isentem o consumidor do valor da entrega a partir de um determinado valor de compra. Entretanto, essa isenção pode ter como contrapartida uma entrega mais demorada, sendo necessário que o cliente avalie se a compra é urgente ou se pode aguardar o prazo maior.

– Compras pelo App

No caso de lojas que possuem aplicativo, é importante verificar possíveis diferenças de preços e condições entre compras feitas pelo site e pelo app. Alguns varejistas oferecem, por exemplo, descontos maiores e frete gratuito para quem fechar negócio pelo aplicativo.

– Cupons de desconto

É possível conseguir grandes descontos por meio de cupons, que podem ser fornecidos pelos próprios varejistas, por parceiros ou sites especializados. Entretanto, é preciso ficar atento e evitar páginas maliciosas na internet, que utilizam a oferta de cupons como isca para roubar dados dos usuários. Antes de fornecer informações pessoais solicitadas em cadastro, deve-se checar se a plataforma é confiável.

– Comparadores de preços:

É possível encontrar serviços que reúnem ofertas de um mesmo produto em diferentes sites, indicando o menor preço para o consumidor. Em alguns casos, como Zoom e Buscapé, é possível encontrar ainda um gráfico com o histórico de preços do produto, com a opção de avaliar as maiores alterações de preço nos últimos 6 meses, ou o menor valor diário nos últimos 40 dias.