56% das mulheres brasileiras não fazem atividades físicas, o que pode contribuir com aumento do risco de câncer

Neste mês de abril, marcado pelo Dia Mundial do Combate ao Câncer, oncologista do COT faz alerta sobre importância da saúde preventiva e prática de atividades físicas

Sedentarismo, má alimentação, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabagismo: esses são os principais fatores que elevam o risco do desenvolvimento do câncer em mulheres. É o que aponta um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, ao destacar que 56% das mulheres brasileiras não fazem quaisquer atividades físicas e um quinto delas não sabe que a prática de exercícios pode diminuir o risco de desenvolver câncer. Neste mês de abril, que é marcado pelo Dia Mundial do Combate ao Câncer, o oncologista do Centro Oncológico do Triângulo, Fernando Maciel, faz um alerta sobre prevenção e reflexão a respeito dos hábitos de vida.

Somente em 2018 são previstos aproximadamente 600 mil novos casos de câncer. Os números são do Instituto Nacional do Câncer (INCA), que publicou recentemente um estudo com os dez tipos mais comuns. Entre as mulheres, o câncer de mama aparece como o segundo tipo mais incidente, depois do câncer de pele não melanoma, com estimativa de surgimento de 59.700 mil novos casos. Ainda neste estudo, Minas Gerais aparece como o terceiro Estado com maior incidência de câncer de mama, com uma projeção de 5.360 diagnósticos pela doença. O INCA aponta ainda que 80% a 90% dos casos de câncer estão relacionados a fatores de risco externos, como sedentarismo, tabagismo, excesso do consumo de bebidas alcoólicas e má alimentação.

O oncologista do Centro Oncológico do Triângulo, Fernando Maciel, faz um alerta para a importância da mudança de hábitos como forma de prevenção. “A cada ano percebemos um crescimento constante da incidência do câncer, que aumentou cerca de 20% na última década. Por isso, é importante incentivar a população a refletir sobre os hábitos de vida, que estão relacionados diretamente com a doença. A prevenção se dá não somente por meio dos exames preventivos, mas também por atitudes cotidianas como ter uma alimentação balanceada, substituindo carboidratos e alimentos processados por frutas e legumes, diminuir o consumo de bebida alcoólica, abandonar o cigarro e outros vícios relacionados ao tabagismo, beber no mínimo dois litros de água por dia e fazer pelo menos 30 minutos de exercícios físicos diariamente”, destaca o oncologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *